O Gaming em 2020

Com o segundo semestre do ano já começou, e mesmo considerando a atual conjuntura mundial face à pandemia do covid-19, que levou a serem adiados os mais relevantes eventos da indústria, é certo dizer que 2020 está, cada vez mais, a consolidar-se como um ano importantíssimo para o universo do gaming

Com o segundo semestre do ano já a decorrer, e mesmo considerando a atual conjuntura mundial face à pandemia do covid-19, que levou a serem adiados os mais relevantes eventos da indústria, é certo dizer que 2020 está, cada vez mais, a consolidar-se como um ano importantíssimo para o universo do gaming. Desde lançamentos como Final Fantasy VII Remake, Half-Life: Alyx ou Resident Evil 3 Remake à chegada da nova geração de consolas, o mercado promete um crescimento significativo até ao mês de dezembro.

A chegada do novo Unreal Engine 5 foi apenas um precursor daquilo que nos esperará com a Xbox Series X e a PlayStation 5. As consolas, que deverão chegar às prateleiras perto do Natal, prometem trazer inovações a nível de texturas, resolução, luz e jogabilidade. A chegada de uma nova geração é sempre um acontecimento; desde lançamentos que se esperarão exclusivos a cada uma das plataformas, a edições limitadas de colecionador, é certo dizer que iremos assistir a números fortes nas vendas. Já a Nintendo não aparenta ter nenhum aparelho nos planos a curto prazo após o lançamento da Nintendo Switch, pelo que se espera que alimente a sua biblioteca de jogos durante o ano corrente, como já pudemos testemunhar com o lançamento soberbo de Animal Crossing: New Horizons.

Quanto a lançamentos de jogos, temos verdadeiras powerhouses a caminho. Jogos altamente antecipados como The Last of Us Part II e Ghost of Tsushima, exclusivos para PlayStation, ou até mesmo Cyberpunk 2077, têm indubitavelmente inúmeros fãs acérrimos nas pontas dos pés a aguardar impacientemente, mesmo perante os adiamentos inevitáveis que ocorreram durante a longa espera. 

Já nos PCs, que pautam a indústria de esports, vemos Valorant a chegar pelas mãos da Riot, prometendo revolucionar o que é até agora conhecido no mundo dos FPS, fazendo frente a pesos pesados como Counter Strike: Global Offensive e Rainbow Six Siege. A audiência das competições mais importantes, transmitidas de forma remota nos tempos que correm, tem vindo a aumentar exponencialmente, com League of Legends, CS:GO, DOTA 2 e Rainbow Six Siege a cabecear a procura. O mundo pode ter feito uma pequena pausa, mas o gaming, certamente, não parou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *