SEO como ferramenta para uma estratégia de conteúdo

A não ser que você seja um excêntrico que busca no bing ou no yahoo, todos nós fazemos pesquisa no mesmo lugar: o Google.

A não ser que você seja um excêntrico que busca no bing ou no yahoo, todos nós fazemos pesquisa no mesmo lugar: o Google.

E é por isso que as estratégias digitais das marcas estão (ou deveriam estar) voltadas para aparecer no Google para seus potenciais clientes, o famoso SEO, Search engine optimization, optimização do site para resultados no Google. Aparecer na primeira página é essencial se o objetivo é gerar tráfego para o seu site, uma vez que 92% dos cliques são em links elencados na primeira página do google, o primeiro tende a ter 33% dos acessos*.

Muitos artigos já foram escritos a falar as vantagens do tráfego orgânico em relação ao pago, relação custo x benefício e o tempo de retorno de cada um, mas esse não é o meu objetivo com esse texto. 

O meu ponto é o seguinte: qual é o seu objetivo em investir em uma estratégia de SEO, ser achado ou  ser querido pelo seu potencial cliente?

Digamos que você tem uma marca de secador de cabelos, e que seu objetivo é vender para o público em geral (B2C), não só para cabeleireiros profissionais (B2B). Se a sua marca aparece nas buscas de “secador de cabelos” como opção de venda, parabéns, isso é uma ótima performance. Mas o que vai fazer e pessoa escolher a sua marca e não a marca X?

É aí que entra a necessidade de investir em conteúdo.

O termo de busca “secador de cabelo” e seus derivados, possuem uma média de 3 mil buscas por mês em Portugal. Enquanto se juntarmos as palavras-chave sobre cabelos, temos 400 mil buscas mensais, incluindo aquelas 3 mil sobre secadores de cabelo. Ou seja, quando se limita uma estratégia de performance no Google apenas com relação ao seu produto, você afunila a geração de leads às 3 mil buscas mensais, enquanto quando se trabalha com conteúdo, o seu potencial chega às 400 mil. Esse potencial de tráfego orgânico acerca de um tema chamamos de território SEO.

Chame como quiser: funil de vendas, customer journey, jornada do cliente… a pessoa que pesquisa por um produto (“secador de cabelo”) já está no momento final desse percurso e provavelmente já está inclinada à marca X ou Y, pois já colheu toda a informação necessária anteriormente. Agora, em outras buscas amplas, mas dentro de um mesmo território como:  “como tratar caspa”, “como criar caracóis em cabelo liso”, “penteado para casamento” as pessoas não necessariamente estão neste momento, ou estão inclinadas a comprar um alguma coisa.

Estar onde o seu target está e dar a ele informações úteis, as quais ele procura, resulta em uma experiência positiva para o utilizador, que é o objetivo global do marketing de conteúdo

Quando se investe em um território, a sua marca atrai tráfego para seu site ou blog através do SEO, criando pontos de contacto com o cliente que não necessariamente são ligados diretamente a conversão, mas criam uma relação de proximidade e dão notoriedade a sua marca. A marca está presente em muitos momentos da customer journey, não somente como produto.

Ou seja, o seu target sabe quem é a sua marca, pois o ajuda em suas principais dúvidas, questões e curiosidades acerca de seu território. Assim, a sua marca se torna uma expert no tema, uma vez que produz e publica conhecimento e informação de qualidade e fiabilidade. O SEO é apenas a ferramenta estratégica para unir a sua marca ao seu público-alvo.

Qual a sensação que a sua marca traz ao consumidor? Ele tem alguma relação com a marca ou olha apenas características do produto/ serviço e preço? Fazer a sua marca ser amada através do conteúdo é o principal objetivo de uma estratégia de conteúdo bem trabalhada, enquanto o SEO é a ponte para esse processo.

*https://www.searchenginewatch.com/2013/06/20/no-1-position-in-google-gets-33-of-search-traffic-study/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *